terça-feira, 31 de maio de 2011

Direto do Rio... Parte II

E agora.... elas que são a cara do Rio, as comidinhas! Lugares super charmosos, com o clima descontraído do carioca  e, o melhor de tudo, uma delícia! Cada um desses lugares tem algo de especial, único. Não vejo a hora de voltar ao Rio para um repeteco em cada um deles...


BB LANCHES Lanchonete
Rua: Aristides Espínola, 64 Leblon
Para depois da praia, antes do teatro, no café da manhã, de biquíni, de salto, não importa. É uma delícia parar no balcão (não tem mesas) e  tomar um suco de tangerina enquanto come um pastel de forno, ou um sanduíche de queijo e banana, ou um bolo de queijo, ou... Tudo é muito bom! 



JOBI Botequim
Av. Ataulfo de Paiva, 1166 Leblon
Esse é o favorito do marido para tomar chope. Como não entendo muito do assunto, ficou com ele a seleção de botequim. O clima lá é muito gostoso, para quem curte futebol, então... Além dos quitutes, que são ótimos! E mesmo conhecendo pouco de chope, dá para afirmar que é bom mesmo!



CT BOUCHERIE Casa de Carnes
Rua: Dias Ferreira, 636 Leblon
No novo restaurante do chef Claude Troisgros, você escolhe a carne e os acompanhamentos são em forma de rodízio, passando o tempo todo pela mesa. O purê de batata-baroa (mandioquinha pra gente) é a perfeição! De sobremesa, mousse de chocolate divina! Fique nas mesinhas da varanda!


BAZZAR Contemporâneo
Rua: Barão da Torre, 538 Ipanema
Cheguei no restaurante direto do aeroporto, no primeiro dia no Rio. Ou seja, sem grandes expectativas. E foi aí que me surpreendi mesmo! O ambiente é lindo, tranquilo, poltronas enormes de couro, no lugar de cadeiras, para se esparramar... E quando os pratos foram chegando, nova surpresa. Uma cozinha verdadeiramente contemporânea, com influências do mundo inteiro e riqueza de sabores. Destino certo na próxima visita...



VENGA! Tapas
Rua: Dias Ferreira, 113 Leblon
Para depois do teatro, sentar nas mesinhas super badaladas é um programa único. E ir comendo as porçõezinhas deliciosas faz você ficar horas por lá... Recomendo fortemente para ir com os amigos!



OUI OUI Comidinhas
Rua: Conde de Irajá, 85 Humaitá
Também para comer aos bocados, mas com outra proposta. De influência francesa, a ideia é cada um criar o seu próprio menu degustação. Independente de quantos pratos escolher, garanta que o brûlée de grana padano e o vol au vent de rabada estejam na lista, são imperdíveis!


ZAZÁ BISTRÔ Contemporâneo
Rua: Joana Angélica, 40 Ipanema
O clima é de romance? Aqui é o lugar. Fique no andar de cima, onde o ambiente é todo à luz de velas e as mesas são baixinhas, com almofadas e futons para sentar no chão. No menu, o couvert já dá a dica do que vem pela frente, com chips de batata-doce, aipim e mandioquinha. A paleta de cordeiro é a sequência perfeita... 



COSA NOSTRA Delicatéssen
Rua: Visconde de Pirajá, 303 loja 103 Ipanema
Aqui não é para comer. É para comprar e fazer em casa! Uma das melhores delis que já fui, com produtos muito bem selecionados e um atendimento excepcional da Lucia, sócia-proprietária. A boa notícia: vende pelo site e entrega no Brasil todo!!! Não aguentei e saí de lá com um pote de farinha italiana com trufas e uma barra de chocolate com flor de sal. Aguardem as produções...



Enfim, o Rio é ou não tudo de bom? Ainda vou morar lá um dia... Aos que me enviaram dicas, agradeço muito, mas infelizmente o tempo foi curto e não consegui fazer tudo. Já estou convencendo o marido para uma próxima, com o pretexto de terminar de conhecer os lugarzinhos deliciosos indicados por vocês!!




Direto do Rio... Parte I

O Rio de Janeiro continua lindo... Mesmo nublado. Mesmo com frio. Porque dia sem praia, é igual a  curtir o outro lado da capital carioca: gastronomia! Dessa vez consegui conhecer mais alguns lugares que faltavam e acho que tenho meus favoritos, pelo menos por enquanto...

Para começar, os restaurantes clássicos, seja pela história, seja pela proposta. São aqueles lugares para um jantar especial, curtindo cada momento. São verdadeiros 3 estrelas, mas com todo o charme carioca:



Costela bovina assada à fogo baixíssimo por 26 horas, da Roberta Sudbrack.

ROBERTA SUDBRACK Alta Gastronomia
Rua: Lineu de Paula Machado, 916 Jardim Botânico
Só trabalha com menu degustação, de 5 ou 9 pratos. Todo o dia o cardápio muda, de acordo com o que está disponível no mercado. Como sou fã declarada do trabalho da chef, não vou me estender muito, porque já falei e fiz as receitas dela aqui, aqui e aqui


LE PRÉ CATALAN Alta Gastronomia
Av. Atlântica, 4240 Copacabana
Quando você liga para fazer reserva, já é saudado com um lindo Bon Soir (boa noite em francês). Quando chega, logo é avisado que está num pedacinho da França no Brasil. E é verdade. Dentro do hotel Sofitel, com uma vista linda, é muito bem decorado e o serviço é perfeito. A comida excelente completa o cenário.



ORO Contemporâneo
Rua: Frei Leandro, 20 Jardim Botânico
Já falei do Oro no blog, mas pela vanguarda, ele merece estar nesta aqui de novo. Sabe toda aquela história de cozinha molecular espanhola, com espumas, fumaças e brincadeiras inusitadas? Pois é exatamente isso que o chef Felipe Bronze faz: traz um pouquinho das novidades lá de fora pra gente provar. 


FASANO AL MARE Alta Gastronomia
Av. Vieira Souto, 80 Ipanema
A marca Fasano, por si só, dispensa maiores comentários. E o Al Mare não é diferente. É o clássico italiano, com um toque de mar, um toque de Rio. Simplesmente perfeito. Se for comemorar um momento especial no Rio de Janeiro, que seja aqui. 


Enfim, dentre várias opções no Rio, estes foram os restaurantes que realmente me conquistaram... Mas, nem só de clássicos que se vive a vida. No próximo, os lugarzinhos com as melhores comidinhas cariocas!!!


segunda-feira, 30 de maio de 2011

Semana de testes


Indo contra a minha natureza capricorniana, que não entende a necessidade de mudanças, resolvi atualizar este pequeno espaço. Mas como preciso de tempo, ainda não é definitivo. 

O novo layout ficará no ar esta semana para nós, eu e você, nos acostumarmos. Então, sinta-se à vontade para comentar, sugerir, criticar e pedir. Semana de testes é para isso...



sexta-feira, 27 de maio de 2011

De mala e cuia!

Depois de um dia muito corrido, me ponho a fazer as malas para uma pequena viagem, a um grande destino. 

O Gourmandisme estará no Rio de Janeiro até a próxima terça-feira, com vários posts especiais. 

Aos leitores cariocas que por aqui passam, adoraria receber dicas dos seus  lugares favoritos...! 

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Paçoquinha caseira

Como alguns já devem ter percebido, tenho em casa um forno muito temperamental. Às vezes funciona, às vezes não. Por sorte, o querido fabricante entendeu que não dá mais para viver assim e o trocará na próxima semana. Porém, até lá, estou sem forno. Mas não sem vontade de assar alguma coisa... 

Então, resolvi procurar uma receita de docinhos, mas que não precisasse levar ao forno. Achei uma da dona Martha Stewart, com manteiga de amendoim (peanut butter).  Ela chama de cookies, mas ficou com cara e gosto de paçoquinha. Tudo bem que o chocolate por cima deu um ar mais sofisticado, mas ainda assim parece paçoquinha... 

Mas parecendo ou não, o importante é que matou minha vontade de assar alguma coisa, e ainda fiquei com uma carta na manga para os dias em que precisar de um doce rápido... 




Paçoquinha Francesa 
(recentemente batizada pelos colegas da aula de francês)

Ingredientes
1 1/2 xícara de aveia
1 xícara de manteiga de amendoim
1 1/2 xícara de leite em pó desnatado
100g de manteiga sem sal
4 colheres de sopa de mel
50g de chocolate meio-amargo em barra

Como fazer
Toste a aveia em uma frigideira, por aproximadamente 10 minutos. Deixe esfriar um pouco.
Misture a manteiga de amendoim, o leite em pó e a aveia. Reserve.
Derreta a manteiga com o mel, em fogo baixo. Deixe esfriar um pouco e junte à mistura de aveia.
Molde os docinhos como preferir e coloque sobre uma grade ou forma com papel manteiga.
Leve à geladeira por 15 minutos
Enquanto isso, derreta o chocolate em banho-maria. 
Retire os docinhos da geladeira e faça desenhos sobre eles com o chocolate derretido. 
Para facilitar, use uma colher de chá. Se tiver, use um saco de confeiteiro com bico pequeno.

Sirva imediatamente ou guarde refrigerado por até 1 semana.

Dica: para ficar mais fácil na hora de comer, coloque em mini-forminhas de cupcake.



Famosas cozinhas e suas bagunças

Quando olho para a minha cozinha, com panelas por todos os lugares, livros, temperos, e mais as últimas novidades do supermercado, me pergunto: será que só eu sou assim? Como boa capricorniana, sou organizada, sistemática e bem chata. Todas as minhas coisas ficam em ordem, guarda-roupa inclusive. Mas a cozinha... Não tem jeito! Então, pesquisei algumas cozinhas famosas, só para ter uma ideia...

Comecei com o chef Gordon Ramsay, que sou super fã, conhecido por seu mau-humor tão grande quanto sua busca pela perfeição. E o que tem na cozinha dele? Vários temperos à mostra, bem pertinho do fogão e ao alcance das mãos! Segui para a senhorinha mais famosa dos últimos tempos, Julia Child. Sua icônica cozinha tinha uma quantidade imensa de panelas e utensílios pendurados por todos os lados, tudo para facilitar o preparo de suas produções gastronômicas.

Na sequência, a rainha dos lares americanos, dona Martha Stewart. Ela adora organizar a vida de todo mundo, com mil e uma dicas, mas quando chega na cozinha dela, mais panelas penduradas por todos os lados. E por fim, com o nosso chef franco-brasileiro Olivier Anquier não é diferente. Panelas, temperos e até um fogão à lenha na sua cozinha vermelha.

E o que posso concluir com tudo isso? Que é assim mesmo que a cozinha deve ser! Com pilhas de coisas, bagunça e muita vida! Porque cozinha organizada demais é sinal de que não é muito usada. E a minha, está longe disso... Então, agora posso dizer, de boca cheia, que tenho orgulho da minha bagunça!




E você? Tem orgulho da sua bagunça também? Mande um foto, que ela pode ser publicada aqui!!!


quarta-feira, 25 de maio de 2011

Reprodução bem sucedida...

Desde o jantar do último sábado, no hotel do interior, fiquei com o molho de balsâmico e vinho tinto na cabeça. Os sabores me surpreenderam tanto que não ia sossegar até tentar reproduzir aqui em casa! Então, para um jantar charmoso, combinei o molho com tournedos de filé mignon (perfeitos para dar destaque total ao sabor marcante do molho) e uma massa trufada.

Sobre a massa, achei no free shop aqui de São Paulo. Mas para quem não está de viagem marcada, procurei na internet e achei para vender aqui (aliás, como não conhecia a loja, dei uma boa olhada e gostei muito da seleção de produtos, assim que fizer uma compra, falo por aqui...).

Vamos à receita...

 

Molho de Balsâmico e Vinho Tinto

Ingredientes
1/2 xícara de vinho tinto
1/2 xícara de vinagre balsâmico

Como fazer
Misture os dois ingredientes e leve ao fogo baixo por aproximadamente 45 minutos. Se não engrossar sozinho, vale o velho truque da vovó: uma colherzinha de maizena.

Para acompanhar, faça a massa de acordo com as instruções do fabricante e grelhe os tournedos, temperados com sal e pimenta, por 5 minutos de cada lado.


Simples até demais, mas tão gostoso...

Animando o dia

Quarta-feira é o único dia que não gosto tanto. Está bem no meio do caminho entre o último final de semana e o próximo. É sem graça. Por isso, precisa de um empurrãozinho para ficar legal... 

A DeliParis teve esse efeito em mim. Fui conferir graças a uma amiga querida, que mandou lá de Londres a dica do seu lugarzinho favorito. E ela estava mais do que certa. Os macarons são perfeitos, com o equilíbrio certo de sabor, textura e recheio. Virei fã!   

Portanto, a receita para quando o dia estiver meio sem graça, sem gosto, sem cor: macarons!!!




Para se sentir na França, ou nas nuvens...


DeliParis
Rua: Harmonia, 484 Vila Madalena
http://www.deliparis.com.br/


terça-feira, 24 de maio de 2011

Oásis Gourmet

Era uma vez, no interior de São Paulo, um lugar diferente. Lá as pessoas não tinham relógio, nem celular ou compromissos. O dia começava gostoso com um solzinho esquentando o corpo e terminava friozinho, debaixo de cobertores. O tempo passava devagar, preguiçoso, enquanto se caminhava ao redor das lagoas. Tinha até cachoeira escondida...

E na hora de comer, o que era bom, ficava ainda melhor. Café da manhã à francesa. Almoço ao ar livre. Jantar ao som de flautas e pianos. As pessoas que por lá passavam não queriam mais sair. Não queriam mais acordar...



Bom, de volta à realidade, passamos o último final de semana comemorando o aniversário do marido no Lake Villas Charm Hotel, ou como prefiro chamá-lo, Oásis Gourmet. É a combinação perfeita de visual paradisíaco, charme colonial e, o melhor, gastronomia contemporânea.

café da manhã é em forma de degustação, com 9 pratos que incluem todos os clássicos da refeição matinal, porém, com o toque contemporâneo do chef. No almoço, me aventurei no risoto de coelho, que estava perfeito. No jantar, aprendi um molho divino: redução de vinho tinto com balsâmico (ainda essa semana repito aqui em casa...).

E para completar, fica só à 130km de São Paulo! Um refúgio completo, com muito charme para um final de semana à dois...


LakeVillas Charm Hotel
Amparo - São Paulo
www.lakevillas.com.br


Apfelstrudel. Saúde!

O apfelstrudel está presente em toda casa de origem alemã. Embora tenha sido inventado em Viena. Com uma massa leve e mistura de frutas com canela, acompanha bem tanto o café da manhã quanto o chá da tarde. Em bom português, estamos falando de um Torta folhada de Maçã. Mas em alemão parece muito mais importante, não é?

Preparei esse doce para servir de sobremesa no encontro que o marido fez aqui em casa, na semana passada. Para facilitar a vida dos amigos, servi cortadinho sobre forminhas de cupcake. Era só pegar e comer. E realmente comeram...tudo!


Apfelstrudel

Ingredientes
1 rolo de massa folhada laminada Arosa
4 maçãs descascadas e em quadrados pequenos
1 xícara de açúcar
Suco de 1/2 limão
100g de passas
1/2 xícara de vinho de sobremesa (ou rum)
2 colheres de farinha de rosca
40g de manteiga

Como fazer
Deixe as passas de molho no rum por 10 minutos.
Em uma tigela, misture as maçãs, açúcar, limão, passas e rum.
Abra a massa folhada, passe uma camada de manteiga e polvilhe a farinha de rosca.
Preencha com o recheio, deixando uns 2 centímetros nas extremidades.
Enrole como um rocambole, feche bem a massa e passe manteiga na superfície.
Leve à geladeira por no mínimo 1 hora (isso permitirá que a massa fique bem folheada).
Asse em forno pré-aquecido a 180°C por 30 minutos, sem deixar tostar.


segunda-feira, 23 de maio de 2011

Simples e saudável. É o Müsli Suíço.

A principal refeição do dia, para mim, é o café da manhã. Acho uma delícia poder comer o doce junto com o salgado. Além de ser amplamente incentivado o consumo de ovos, outra paixão.

Porém, nem sempre dá para ter o café da manhã de hotel, delicioso. Seja por tempo, seja para compensar os abusos gastronômicos do final de semana. Em dias assim, como hoje, apelo para uma opção saudável: o Müsli Suíço, misturinha de aveia, frutas e castanhas.

Os primeiros registros do Müsli aparecem no início de 1900, como refeição para pacientes em recuperação nos hospitais. No início dos anos 60 já estava difundido pela Europa como fonte de vitaminas e energia. Um pouquinho de nutrição: a porção abaixo supre a necessidade diária de fibras, contribuindo para baixar o colesterol no sangue. Portanto...



Müsli Suíço
(para 1 pessoa)

Ingredientes
150g de yogurte natural
1 colher de sopa de mel
2 colheres de sopa de flocos de aveia
1 colher de sopa de passas
1 manga pequena, em cubos
1 banana média, em fatias
Suco de 1 maracujá.
2 colheres de sopa de amêndoas

Como fazer
Hidrate as passas, em um pote com água quente, por 5 minutos.
Misture todos os ingredientes e decore com algumas amêndoas e bananas.


Uma forma saudável de começar a semana...


sexta-feira, 20 de maio de 2011

Sexta de compras

Nada melhor do que encerrar a semana fazendo umas comprinhas... Ou no mínimo, conhecendo uma loja nova, cheia de coisas fofas para você e sua casa. A Coisas da Doris é daquelas lojas que mais parece um passeio, você fica horas lá dentro descobrindo objetos do mundo todo.

A boa notícia para quem não está em São Paulo, ou não consegue ir até a loja, é que a loja virtual entrega no Brasil todo! Aproveitando a sexta-feira para montar mais uma lista de desejos:





A loja bem que poderia se chamar Coisas Fofas da Doris....


Coisas da Doris
Al. Ministro Rocha Azevedo, 834
http://www.coisasdadoris.com.br/

As clássicas

Pense na Argentina. Deixe a richa futebolística de lado e pense na culinária. Qual o primeiro prato que vem à cabeça? Na minha é a empanada! Sem dúvida é o prato mais típico dos hermanos, saboreada como entrada, lanche ou até refeição, do norte ao sul do país.

Ela é tão tradicional, que tem muitas versões. Mas talvez as duas mais conhecidas de nós, brasileños, sejam a salteña, com batatas e condimentos picantes, e a mendocina, que por estar na região dos vinhos e azeites, leva azeitonas. A segunda versão me agrada mais.

Então, para combinar com o Pastel de Choclo chileno do menu de ontem, decidi me aventurar nas empanadas mendocinas. A receita já estava separada desde o começo do ano, quando ganhei de um casal muito querido o livro do chef argentino Francis Mallmann (assinado e tudo!!!), Siete Fuegos Mi Cocina Argentina.

Embora pareça complicada, a receita é simples e não tomará tanto tempo, se dividida em duas etapas. Um dia antes prepare o recheio e a massa. No dia, apenas monte e asse. Só uma consideração, não use carne moída. Faça como os argentinos e asse uma boa carne, como a maminha. Suas empanadas ficarão muito mais autênticas.

Agora, mãos à obra...


Empanadas Mendocinas

Ingredientes
Massa
1/2 litro de água
1 colher de sopa de sal
50g de manteiga
650g a 800g de farinha 00 (ou a tradicional, se não achar esta)

Recheio
1 peça de 500g de maminha
1 lata de cerveja preta
3 cebolas picadas
1/2 xícara de azeitonas
3 ovos grandes, cozidos e picados
3 gemas cruas, misturadas
sal, pimentas, azeite e manteiga a gosto


Como fazer

Dia 1
Recheio - tempere a maminha com sal, coloque em um saco próprio para assar, despeje a cerveja e faça um pequeno corte na parte de cima do plástico. Asse por 2 horas a 180°C.
Retire do forno e aproveite enquanto ela estiver quente e derretendo para desfiar com um garfo.
Doure a cebola no azeite, acrescente a carne desfiada e as azeitonas.
Tempere com sal e pimenta e reserve na geladeira até o dia seguinte.

Massa - ferva a água com sal (salmoura) e acrescente a manteiga. Retire do fogo e reserve.
Quando esfriar comece a incorporar a farinha, uma xícara por vez, na mão ou na batedeira.
Sinta a massa, ela deve ficar dura e seca.
Divida na metade, e comece a abrir a massa, até fica bem fina.
Faça discos de aprox. 12cm, envolva com filme plástico e leve à geladeira.


Dia 2  
Retire a massa e o recheio da geladeira 30 minutos antes de usar.
Monte as empanadas, colocando um disco sobre sua mão e acrescentando um pouco do recheio, um pedaço de ovo cozido e um pedacinho de manteiga.
Molhe as extremidades com um pouquinho de água e feche, torcendo a massa.
Pincele com a gema, para dourar e asse por 20 minutos em forno pré-aquecido a 180°C°.

Rende 40 empanadas médias.

Fotos: Livro Siete Fuegos, Mi Cocina Argentina


Trabalho que compensa....


Quando o pastel é uma torta

Dia de semana já deixou de ser sinônimo de dormir cedo faz tempo. Sempre tem um jantar, restaurante novo, jogo do Flamengo, etc. Adoro todos os programas! Só nem sempre consigo postar conforme programado... Como agora, perto da uma da manhã e eu aqui escrevendo.

Mas não poderia deixar passar essa receita, super prática e deliciosa, que fiz para o encontrinho dos amigos do marido aqui em casa essa noite. O pastel de choclo, que traduzindo livremente é algo como torta de milho, é um prato típico chileno de carne moída picante e milho doce.  

Acho que agradou... Quando cheguei em casa (do meu encontrinho), não tinha mais nada!


Pastel de Choclo

Ingredientes
600g de patinho moído
2 cebolas picadas
100g de uvas passas, hidratadas
50g de azeitonas pretas, sem caroço e picadas
4 espigas de milho, cozidas
100ml de leite
azeite, sal e pimenta (preta e tabasco) a gosto

Como fazer
Doure a cebola no azeite, por aproximadamente 8 minutos, mas sem deixar queimar.
Acrescente a carne e refogue bem. Em seguida adicione a uvas e tempere com sal e pimentas.
Quando estiver pronto, retire do fogo e acrescente as azeitonas, misturando bem.
Bater os grãos de milho no liquidificador, com metade do leite.
Levar a forno brando para engrossar (a consistência certa é de quase um purê), se necessário, complete com o restante do leite.
Monte uma travessa grande (ou várias pequenas) com a carne e o purê de milho por cima.
Leve ao forno pré-aquecido a 180°C por 15 minutos.


Obs.: como a ideia é misturar o picante da carne, com o doce do milho, eu usei o milho doce americano, que deu esse toque. Se você usar o tradicional brasileiro, polvilhe uma colher de sopa e açúcar por cima do prato, antes de levar ao forno. Dará o mesmo resultado. 


quinta-feira, 19 de maio de 2011

Sanduiche é coisa séria!

Dois hamburguers, alface, queijo, molho especial, cebola e pickles num pão com gergelim... Sanduiche não tem segredo, certo? Todo mundo sabe fazer e tem o seu especial!

Mas, depois de folhear o recém-lançado The Encyclopedia of Sandwiches, dos blogueiros americanos Susan Russo e Matt Armendariz, mudei de ideia.

As possibilidades são imensas. Opções para o dia a dia, festa, chique, simples, vegetariano, com muita carne. Enfim, para todo gosto. É um verdadeiro salva-vidas para os dias sem inspiração.


Por enquanto, disponível apenas na Amazom.com .



quarta-feira, 18 de maio de 2011

Para colocar no roteiro

Viajar é sempre uma delícia. Seja para o outro lado do mundo, ou até a praia mais próxima. Mas para nós, gourmands, gourmets, comilões, não basta só viajar, tem que ter uma comida boa também. Se for típica e única, melhor ainda!

Então, que tal incrementar a viagem incluindo um museu dedicado à gastronomia? Eles são pequenos, bem organizados e muito interessantes. Ou seja, não tomarão muito tempo da viagem e agregarão cultura gastronômica!! E para completar, alguns têm comidinhas no final...

A minha seleção, lá fora...

Agropolis Museum  Montpellier, França
É claro que só podia estar na França um museu dedicado à comida, do mundo! Desde rituais (como a cerimônia do chá), técnicas (preparação de massas), produção e distribuição em geral.




Museo del Prosciutto di Parma - Langhirano, Itália
Dedicado ao estudo do famoso presunto italiano, desde a época romana. Fica situado em um antigo mercado de carnes. A visita termina com uma degustação de alimentos e vinhos locais.




Museum der Brotkultur - Ulm, Alemanha
Com foco nos 6.000 anos de história do pão, o museu possui mais de 18.000 itens em exposição. Inclui os diversos métodos de preparação e suas mudanças ao longo do tempo, o papel cultural e social dos pães e uma biblioteca com mais de 6.000 títulos à disposição.




E por aqui...

Museu da Gastronomia Baiana - Salvador, BA
É o primeiro museu voltado à gastronomia na América Latina. Possui vários painéis e fotografias dedicadas à explicar a história, cultura e sincretismo religioso da Bahia, através de seus pratos. E para quem ficar com água na boca, o restaurante em anexo tem no cardápio os principais quitutes baianos!




Museu da Gastronomia Brasileira - Rio de Janeiro, RJ
Ainda está em fase de projeto, mas a ideia parece interessante. Serão várias mesas, com mais de 30 pratos típicos reproduzidos, divididos por região. Agora é torcer para sair do papel...




Quem já conhece algum desses?

Prato do dia: picadinho

Jantar de terça-feira ainda conta como começo de semana. Ainda não dá para descontrolar. Mas já não precisa ser sopa (reservada para as segundas de frio). Então, talvez a melhor opção seja fazer um peixinho com salada, ou arroz integral. Ao menos essa era a intenção.

Porém, tomada por um espírito de dúvida, resolvi dar opção ao marido: "peixe ou picadinho?". Sem nem pestanejar, a resposta: "picadinho! Com aquela farofinha, arroz e feijão também!". E foi assim que a ideia de um jantar leve foi suprimida pelo quarteto fantástico.

Quarteto este, que tem várias formas de ser preparado, em todo canto da cidade. O meu não tem segredo, a não ser o tempo. Ficou pronto em 20 minutos. Enquanto descongelo o feijão no micro-ondas, coloco o arroz para cozinhar e na sequência começo a carne. Enquanto a carne e o arroz terminam de cozinhar sozinhos, tempero o feijão e faço a farofinha. Ufa... É um pouco corrido, mas que dá, dá... 



Picadinho de Carne

Ingredientes
400g de alcatra picada
1 cebola picada
2 colheres de molho de tomate
1/2 xícara de vinho tinto
1 xícara de caldo de carne
sal e azeite a gosto

Como fazer
Doure a cebola e na sequência a carne, em fogo alto.
Acrescente aos poucos o molho de tomate, o vinho e o caldo.
Cozinhe em fogo médio até reduzir quase totalmente.

Sirva com arroz, farofa e feijão.


Tem cara de almoço, mas fica tão bom no jantar....

terça-feira, 17 de maio de 2011

Abaixo a ditadura do filé mignon!

Sou apaixonada por carne. Se eu pudesse, comeria carne todos os dias, no almoço e jantar. Mas, isso me deixaria alguns quilos acima do que eu gostaria... Mesmo porque, a carne nunca vem sozinha. Sempre tem um arroz, uma massa, ou (o melhor de todos) uma fritura...

Mas supondo que eu fosse comer carne todos os dias e que ela me fosse entregue em casa, sem nenhum custo, pelo melhor açougue da região (sonhar não custa nada). Eu só precisaria escolher o corte. Bom, sem nem pensar, o escolhido seria o filé mignon, certo? Errado! 

O filé mignon é tão nobre, por ser a parte que o boi menos utiliza. Sendo assim, é tenro, macio e sem gordura. Logo, sem gosto. Porque o que dá o sabor de todo corte, é a gordura, seja em pequena ou grande quantidade. Daí, que os pratos com o tão nobre corte são sempre muito bem acompanhados de molhos e temperos.

Já outros cortes, por sua riqueza de sabores, não precisam do mesmo cuidado. Sozinhos, temperados muitas vezes apenas com sal, formam uma refeição memorável. Por isso, venho aqui convidá-los a experimentar novos sabores...


CUPIM (3) - sofre injustamente grande preconceito, por ser o lugar onde o boi leva as vacinas. Mas acredito que qualquer médico poderá atestar que isso não interfere em nada na carne, pois a vacina se espalha rapidamente pelo corpo todo do animal. Portanto, além da gordura, você não tem motivo nenhum para deixar de saborear um dos melhores cortes do boi, macio e extremamente saboroso.

CONTRA-FILÉ (7) - o famoso entrecôte francês faz bonito acompanhado de salada e fritas. Tem gordura sim, mas é pouca e em quantidade suficiente para dar gosto, nada mais. É a minha opção para o dia-a-dia com sabor. Em São Paulo, sou fã do bistrô L'Entrecôte d'Olivier

PICANHA (8) - não tenho muito do que falar desse corte clássico dos churrascos. Mas me atrevo a dar uma dica de tempero: azeite de oliva, sal grosso e alho picado (desses de potinho). Pincele dos dois lados de cada fatia, na hora de grelhar, e depois é só saborear...

COXÃO DURO (11), COXÃO MOLE (12) e PATINHO (14) - são as melhores opções para os ensopados que vão ficar bastante tempo no fogo, como o Boeuf Bourguignon francês ou o Goulash húngaro. Cortes diferente destes, seja o mignon ou qualquer outro, não aguentarão o longo período sob fogo ou não absorverão os sabores do cozimento.

MAMINHA (15) - ainda pouco comum fora das churrascarias e casas de carne, pode ser uma excelente opção para um jantar com mais pessoas. Assada por algumas horas, mergulhada na cerveja preta e dentro de um saco próprio para assar, pode ser comida com colher, de tão macia!

FRALDINHA (16) -  é um dos cortes mais versáteis, fica ótima sempre, seja na churrasqueira, panela de pressão ou forno. Temperada com alho e azeite, tem seus sabores realçados. Só tenha o cuidado de comprá-la sem a capa de gordura, é totalmente disponsável para o cozimento.

COSTELA (17) - aqui está meu ponto fraco. Assada por horas no forno, somente com sal grosso, é a perfeição das carnes (técnica da minha mãe que um dia eu aprendo). Recentemente descobri uma boa opção no Le French Bazar, onde ela é desfiada, servida no próprio molho e acompanhada de nhoque de batatas. Excelente!

OSSOBUCO (20) - grande clássico da cozinha italiana, existem várias formas de prepará-lo. Eu, particularmente, adoro o ragú de ossobuco, seja de boi ou de vitelo. A diferença é o tempo de cocção, o primeiro leva mais tempo. Ambos são saborosos e complementam muito bem uma polenta

 
Enfim, acho que ficou fácil entender porque não gasto minhas calorias com o filé-mignon. Prefiro guardá-las para qualquer um dos cortes acima... E você?


Bolo de banana, nunca me canso!

Sempre que vejo umas bananas dando mole na fruteira, já penso em um bolinho de banana. Parece que sinto o cheirinho dele vindo do forno, deixando a cozinha toda com um aroma inconfundível... E ontem não foi diferente.

Final da tarde, sopinha para o jantar (de legumes, nada demais) e três bananas que deveriam ter sido devoradas no final de semana, mas que inexplicavelmente não foram. Só faltava uma receita nova (sempre faço esta receita de bolo de banana).

Eis que, folheando a Revista Lola deste mês, acho a seguinte receita: "Bolo Integral de Banana e Aveia". Dei uma olhada nos ingredientes e, depois de resgatá-los da despensa, um pouco relutante, comecei o preparo. 

Relutante porque tenho minhas dúvidas sobre estas receitas de revistas não voltadas à gastronomia. Sempre encontro alguns errinhos. E dessa vez o principal problema foi no tempo para assar: 45 minutos no forno? Exagero! Ficou pronto em 20! Mas, ainda com outras pequenas adaptações, o bolo ficou uma delícia, bem fofinho e saboroso!




Bolo Integral de Banana 
(não coloquei aveia e fiz algumas adaptações)

Ingredientes
3 bananas-prata maduras
2 ovos
1/2 xícara de óleo
1/2 xícara de açúcar mascavo
1/2 xícara de farinha de trigo
1/2 xícara de farinha de trigo integral
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de canela em pó
1/2 colher de chá de extrato de baunilha
1/2 colher de chá de extrato de banana

Como fazer
Pré-aqueça o forno a 200°C e unte uma forma de bolo inglês (ou pão) com manteiga.
Descasque as bananas e amasse-as com um garfo. Reserve.
Misture os ovos com o óleo, primeiramente.
Vá adicionando os demais ingredientes aos poucos.
Transfira para a forma e asse por 20-25 minutos, ou até espetando um palito, este sair limpo.
Desenforme e deixe esfriando em uma grade por 10 minutos antes de cortar.


Sem dúvida é minha nova receita favorita de bolo de banana...

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Gastronomia e Jazz, Jazz e Gastronomia

Ele só abre às quintas-feiras. O cardápio muda toda semana. A banda também. Fica no porão de um antiquário. Bem-vindos ao Restaurateur Jazz e Gastronomia, o achado gourmet da última semana.

A proposta é única: ouvir um bom jazz enquanto saboreia uma confort food deliciosa, com gostinho de casa da avó. O ambiente aconchegante nos deixa à vontade. E o atendimento familiar completa a noite.

No menu, as entradas são fixas. Provamos o crostini de queijo brie e geleia de pimenta e as mini-bruschetas. Delícia. A sobremesa também é fixa, torta de maçã. E nem precisa de mais nada, ela é simplesmente divina.

Já o prato principal e a banda, mudam toda semana. Na última quinta-feira, experimentamos o picadinho com purê de mandioquinha e farofa enquanto ouvíamos Villa Lobos in Jazz. 


As delícias do cardápio fixo, bruscheta e torta de maçã:



Programa diferente...


Restaurateur Antiquário, Jazz e Gastronomia
Rua: Cardeal Arcoverde, 1479 Pinheiros
Reservas no telefone: 9900-7110 ou pelo e-mail contato@restaurateur.com.br


Jantar romântico, sem jantar

Na última sexta-feira, depois de uma semana conturbada, queria fazer algo especial para o marido. Mas passar horas na cozinha e comer sentadinhos na mesa não estava me agradando muito... Então, de frente para o sofá da sala, olhando a mesa de centro, tive o clique: almofadas no chão, finger food na mesinha e vinho na taça!

Para montar o menu, a inspiração foi a minha geladeira mesmo. Sempre compro coisinhas diferentes e vou guardando, esperando o dia para usar. Bom, decidi que o dia chegou. Usei um pote de foie gras, outro de caviar e um terceiro de mel com trufas. Daí foi só trabalhar nos acompanhamentos... Manga para o primeiro, blinis para o segundo e um queijinho para o terceiro!

O resultado foi esse:




Falando mais detalhadamente dos pratos...


Foie Gras grelhado sobre Lascas de Manga

Com o descascador de legumes, retirei lascas da fruta e coloquei sobre uma travessa. Grelhei o foie gras rapidamente, em um frigideira bem quente (não precisa de óleo) e coloquei sobre as mangas. Reguei com balsâmico e flor de sal.

Foi o preferido do marido.




Queijo Gruyère com Mel Trufado

Não tem segredo nenhum, a não ser achar o bendito mel trufado. Comprei esse na loja da Spicy, é bom ficar de olho no site deles, porque de vez em quando tem.

Mas, voltando à receita, é só picar o queijo e regar com o mel. Impossível não comer vários...



Blinis com Sour Cream e Caviar

Talvez este prato clássico russo é o que dará um pouquinho mais de trabalho, mas você pode preparar os blinis (que são mini panquequinhas) com antecedência. Adorei todas as preparações, mas está é a minha favorita.


Para 20 blinis:

Ingredientes
5g de fermento fresco (1/3 do quadradinho)
80ml de leite morno
1colher de chá de açúcar
60g de farinha de trigo
1 ovo, com clara e gema separadas
20g de manteiga derretida
manteiga para fritar (usei Ghee)
sour cream (3 colheres de sopa de creme de leite fresco + 1 colher de chá de limão)
caviar (usei ovas de capelin, porque ainda não tive coragem de usar as de esturjão)

Como fazer
Dissolva o fermento no leite forno, acrescente o açúcar, farinha, gema de ovo e uma pitada de sal.
Cubra e deixe levedar longe do frio por 30 minutos (a massa vai ficar bem fofa e elástica).
Incorpore a manteiga e em seguida a clara batida em neve.
Frite colheradas de massa em uma frigideira anti-aderente, por aprox. 1-2 minutos de cada lado.

Para montar, coloque uma colher de chá de sour cream e cubra com uma colher de chá de caviar.

Dica
Montei apenas um antes, para a foto. Deixei os três ingredientes em uma travessa e fomos montando durante o jantar. Ficou mais relaxed, sem cara de buffet.



sábado, 14 de maio de 2011

Extra! Extra!

Embora não tenha o costume de postar durante os finais de semana (estou quase sempre na cozinha), hoje faço uma exceção. Afinal, fomos obrigados a ficar quinta e sexta sem posts, não é? Obrigada Blogger!

Mas, não vou ficar aqui reclamando do provedor, quando posso dar uma ótima dica de compras (que eu mesma já aproveitei!!!).

O site de compras Coquelux está vendendo até amanhã (dia 15/05) produtos de alta gastronomia com preços ótimos e entrega no Brasil todo! As minhas escolhas:

Caldo líquido concentrado Carneiro - como não uso, por convicção, os quadradinhos daquela marca com K, sempre procuro produtos naturais para substituí-los. Este caldo líquido não contém qualquer realçador de sabor, corantes ou conservantes! Sem falar no sabor, que é sensacional!! Adoro o de Carneiro, mas sempre tenho em casa o de Vegetais também.

Flor de Sal de Guérande - já falei da flor de sal em outro post, portanto, vocês já sabem o quanto gosto. O que faz esta ser especial é sua região, uma das mais tradicionais em produção de flor de sal da França.

Fumaça Líquida - ela é muito mais um luxo do que essencial, mas está com um preço ótimo! Algumas gotinhas dela deixam os pratos com um sabor defumado delicioso. Eu prefiro o tradicional, de nogueira, mas têm outras opções no site. Ela é 100% natural.

Essas foram as minhas compras, mas as pimentas já com o moedor são uma boa opção. Além do azeite com laranja e da pasta de curry.

Já para as compras...

sexta-feira, 13 de maio de 2011

And we are back...

Após quase 24h fora do ar, o Blogger corrigiu os seus erros e voltou ao normal! Na verdade, quase. Os posts de quarta-feira sumiram temporariamente e devem voltar somente no fim do dia.

Já estou trabalhando nos próximos posts, refazendo os que estavam salvos e foram perdidos...

Cozinha à mil!!!

UPDATE: com essa confusão do Blogger, vários comentários sumiram, alguns, inclusive que eu não tinha respondido ainda.
Peço desculpas a todos! 

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Sanduiche de homem

Sim... Você leu direito, sanduíche de homem! Não que as mulheres não possam comer, eu mesma comi dois! Mas os homens simplesmente adoram... São sei bem porque. Talvez seja o fato de serem simples, picantes na medida certa e impossíveis de comer com qualquer coisa, além das mãos. Perfeitos para dia de jogo de futebol!

Um verdadeiro clássico americano, aparece em livros de receita desde 1890, com a combinação carne moída + cebolas + pimenta + molho de tomate.  Só garanta que todos comam os seus sanduiches quentinhos, faz toda a diferença...


Sloppy Joe

Ingredientes
500g de carne moída
1 cebola picada
1/2 xícara de pimenta picada (usei biquinho e um pouquinho de malagueta)
1 1/2 xícara de molho de tomate
1/2 xícara de ketchup (usei mostarda)
1/4 xícara de açúcar mascavo
2 colheres de sopa de molho Worcestershire (ou inglês)
2 colheres de chá de Tabasco
1 1/2 colheres de vinagre de vinho tinto (usei branco)
10 mini-pães de hamburguer
azeite e sal a gosto

Como fazer
Aqueça o azeite e adicione as cebolas e pimentas. Deixe dourar por 3 minutos.
Adicione a carne e cozinhe por 12 minutos, ou até escurecer. Retire o excesso de gordura.
Adicione todos os ingredientes restantes (menos o pão) e deixe em fogo baixo por aprox. 20 minutos.
Coloque nos pãezinhos e sirva imediatamente.

Rende 10 porções.

Eu queria esse restaurante pra mim!

Nunca tive a pretensão de ter o meu próprio restaurante, até conhecer o Las Chicas Gourmet Garage, das chefs Carla Pernambuco e Carolina Brandão (dupla há mais de 15 anos no mais que perfeito Carlota). Lugarzinho pequeno, com decoração charmosa e comida deliciosa, é meu sonho de consumo oficial!

Novíssimo (abriu um pouco antes do Carnaval) o Las Chicas tem café da manhã, almoço com várias saladinhas e comidas naturais, sem qualquer fritura (amei!), quitutes para saborear o dia todo e um jantar especial, à la carte. 

Quando estava lá, na mesa ao lado estavam almoçando também as chefs-proprietárias Carla e Carolina. Super fofas, não se importaram com as minhas perguntas e ficamos batendo papo um bom tempinho. Elas estão super felizes com o sucesso do restaurante e recomendam fortemente o café da manhã.

Programinha gostoso para o sabadão...


Foto: Google (único jeito de conseguir uma foto do restaurante vazio,
porque é impossível vê-lo assim) 

Las Chicas Gourmet Garage
Rua: Oscar Freire, 1607
Seg. à Sáb. 9h às 23h
Dom. 9h às 18h

terça-feira, 10 de maio de 2011

Quem quer bolinhos rápidos e deliciosos?

Adoro incrementar a sopa nossa de cada dia com um acompanhamento especial. Muitas vezes é um pão torradinho, croutons ou até um queijo diferente gratinado por cima.

Para a sopinha de ontem à noite, achei essa receita de muffins salgados no livro Le Cordon Bleu Pequenos Almoços (no português de Portugal, para a gente é café da manhã mesmo....). Eles são excelentes por vários motivos: ficam prontos em 20 minutos certinho, o sabor do milho com o cheddar é sensacional e são impossíveis de comer um só, quando saem do forno quentinhos...

Para fazer já!!!




Muffins de Milho com Bacon e Cheddar

Ingredientes
140g de farinha de milho (fubá)
140g de farinha de trigo
30g de açúcar
1 colher de chá de fermento
1 colher de chá de sal
290ml de buttermilk (acrescente 1 colher de chá de vinagre no leite)
2 ovos
70g de manteiga sem sal, derretida
120g de queijo cheddar, em cubos pequenos
90g e bacon, cozinhado e em cubinhos

Como fazer
Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte 12 forminhas para muffins com manteiga.
Peneire todos os secos em um tigela (farinhas, açúcar, fermento e sal).
Misture, em outra tigela, os líquidos (buttermilk, ovos e manteiga).
Abra um buraco no meio dos ingredientes secos e vá misturando o líquidos.
Misture com um batedor de arame (fouet) até ficar homogêneo. Adicione o queijo e o bacon.
Coloque a misture nas forminhas, enchendo até 3/4.
Leve ao forno por 20 minutos, ou até o palito sair limpo quando espetado da massa.


Obs.: a massa deve ficar com grumos, então, não misture de mais.

Creme de Cogumelos, simples assim

Friozinho delicioso em São Paulo mais começo da semana depois de domingo com pizza, só pode ser igual a sopa! Quentinha, leve na medida do possível e muito saborosa...

Eu estava com vontade de alguma coisa diferente, que fugisse dos legumes. Folheando uns livros achei esta opção de Creme de Cogumelos. Não segui totalmente a receita, pois usei os cogumelos que encontrei no Hortifruti. E, sinceramente, acho que esse creme fica bom com qualquer tipo!

Confesso que nunca tinha feito nada nem parecido, mas o resultado me conquistou. Enfim, sempre dá para ter sabor e fazer diferente, até mesmo com uma sopinha...



Creme de Cogumelos

Ingredientes
500g de cogumelos frescos (eu usei shimeji, portobello, paris e pleurotus)
30g de manteiga sem sal (eu usei ghee)
1 cebola picada
500ml de caldo de galinha (ou água)
300ml de creme de leite
sal e pimenta do reino a gosto

Como fazer
Limpe bem os cogumelos, com uma escovinha ou papel toalha. Corte-os em pedaços uniformes.
Derreta a manteiga em fogo médio e acrescente a cebola. Tampe e deixe cozinhar por 2 minutos.
Adicione os cogumelos, tampe novamente e cozinhe por mais 4 minutos.
Incorpore o caldo de frango e o creme de leite. Cozinhe em fogo médio por 15 minutos.
Deixe esfriar um pouco e passe tudo em um processador, ou use um mixer diretamente na panela.
Volte para o fogo, tempere com sal e pimenta e sirva quente.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Manteiga indiana

Não quero ser dramática, mas a verdade é que não consigo nem imaginar o que seria da minha cozinha sem manteiga. Uso em absolutamente tudo e é um item que está em todas as minhas lista de compras. Já falei dela neste post aqui.

Mas o que não falei ainda é de um produto que, com a maior alegria, achei esses dias aqui em São Paulo, a manteiga clarificada Ghee (pronuncia-se gui). De origem indiana, ela é amplamente usada em todo sul da Ásia. 

Para se manter em forma quase líquida, ela passa pelo processo de aquecimento lento, perdendo a água e os sólidos do leite. Com isso, ganha algumas vantagens sobre a versão tradicional:

- tem maior prazo de validade
- não queima quando submetida à altas temperaturas
- rende mais (estou usando há um mês e o pote não está nem na metade ainda)

Além disso, possui benefícios para a saúde: fonte de vitamina A, fortalece os rins, o fígado e o cérebro. Os praticantes de yoga (como eu) acreditam que ajuda a melhorar o humor e a flexibilidade. Sem falar que deixa a comida tão saborosa...

Não custa tentar, não é?

Comprei meus potes (2 para garantir...) na loja da Bombay Herbs & Spices na Al. Ministro Rocha Azevedo, 856. Mas para quem está fora de São Paulo, a loja virtual entrega no Brasil todo.



Café da manhã com micro-ondas

O café da manhã é a minha refeição favorita. Existem tantas formas de deixá-lo especial e saboroso... Uma das que mais gosto é com ovos. Sejam eles mexidos, cozidos ou poché, simplesmente adoro!

A boa notícia é que eles não são tão ruins para a saúde quanto já se acreditou. Pelo contrário, excelente fonte de vitaminas e proteína, em moderadas quantidades faz até bem! Além do fato de serem baratos, você encontra em todo lugar e são fáceis de preparar. O único porém são os ovos do supermercado. Eles contém tantos agrotóxicos, que a longo prazo começarão a fazer mal. A solução, simples, é procurar usar sempre ovos orgânicos ou caipira.

Mas, os ovos não são o único destaque desse post. O micro-ondas está aparecendo aqui pela primeira vez. E não porque esqueci de colocar outras receitas com ele, é porque não o uso mesmo (salvo para a pipoca). Eu sei que parece preconceito, mas brigadeiro, arroz e molhos no micro-ondas? Eu passo!

A exceção aconteceu com estes ovos. Chamados na França de Oeufs en Cocotte (algo como ovos no potinho), ficam pronto em menos de 2 minutos no micro-ondas, com o mesmo sabor do forno à gás, que leva em média 20 minutos. Ponto para o aparelho emissor de pequenas ondas.



Oeufs en Cocotte

Ingredientes
2 ovos
2 colheres de creme de leite fresco (se não tiver, use leite)
sal, pimenta e demais temperos a gosto

Como fazer
Quebre os dois ovos em um potinho que possa ir ao micro-ondas (e bonito para ir à mesa).
Coloque duas colheres de creme-de-leite entre as gemas, cuidando para não rompê-las.
Tempere a gosto, sem mexer nos ovos, apenas por cima.
Leve ao micro-ondas por 1 minuto. Veja se os ovos já estão cozidos, isso depende de cada forno.
Os meus levaram 1 minuto e 30 segundos.

Sirva com torradas.


Obs.: não se assuste com a aparência das cocottes prontas, não são tão bonitas assim, mas o sabor compensa...

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Mães especiais, torta especial

Ainda em ritmo de comemorações, que tal dar uma folga da cozinha para sua mãe? Ou, se você já for mamãe, para você mesma? Essa torta é tão fácil e rápida que até o marido pode prepará-la! Clássica, presente em todo tipo de restaurante francês, do mais simples ao mais sofisticado, ela tem uma história bem bonitinha.

No final do século XIX, em um pequeno restaurante no centro da França, as irmãs Caroline e Stéphanie Tatin a inventaram quase que por azar. Elas estavam caramelizando maçãs para uma torta tradicional, quando as queimaram um pouco. Tiveram então a ideia de cobrir as maçãs com massa, para não queimar mais, e terminar de cozinhá-las no forno.

Viraram a torta para servir e foi um grande sucesso! Estava criada a torta que leva até hoje o nome delas! Portanto, faça sem medo, mesmo queimando um pouquinho, vai ser um sucesso!




Tarte Tatin

Ingredientes
1/2 pacote de massa para torta Arosa, cortada no diâmetro da forma
4 maçãs pequenas, sem casca e caroço, cortadas em meia-lua
150g de açúcar
4 colheres de água

Como fazer
Fure a massa várias vezes com um garfo e reserve refrigerada.
Faça um caramelo com a água e o açúcar, diretamente na forma que vai ao forno. Quando escurecer, retire do fogo.
Disponha as maçãs de forma que fique visualmente bonito e cubra com a massa.
Leve ao refrigerador por 30 minutos.
Asse em forno pré-aquecido a 180°C por 45 minutos, ou até a massa assar.
Retire do forno e espere alguns minutos antes de desenformar.


Sirva aquecida com uma bola de sorvete de creme...

Comida caseira pra matar a saudade

O Dia das Mães está aí. Apesar de achar que todo dia é o dia delas, a data sempre traz lembranças. Quando começo a pensar nisso, o que me vem à cabeça (ou melhor, ao estômago) é a comida gostosa da minha mãe.

Mesmo não sendo muito fã da cozinha, ela tem um portfolio de umas 10 receitas deliciosas! E, convenhamos, cozinhando essas com tanta perfeição, quem precisa de mais?

Então, para diminuir um pouquinho a distância entre nós, resolvi me arriscar em um dos pratos que ela adora fazer: arroz carreteiro. Sinceramente, não ficou igual ao dela, e nem era essa minha pretensão. Afinal, tempero de mãe é único!

Mas... ficou muito bom! O marido, que também é fã da comida da sogra, comeu dois pratos cheios! Enfim, o que importa é que aguentar a saudade com a barriga cheia é muito melhor...



Arroz Carreteiro (da minha mãe)

Ingredientes
400g de carne seca em cubos, dessalgada conforme as instruções do fabricante
1 cebola, cortada em rodelas
2 batatas, sem casca e cortadas em cubos
200g de arroz branco, de sua preferência
manteiga de garrafa

Como fazer
Doure bem a cebola na manteiga de garrafa e na sequência adicione a carne seca.
Após 5 minutos, acrescente o arroz e deixe fritar mais 2 minutos.
Cubra com água e coloque as batatas para cozinhar junto.
Quando secar a água, verifique o ponto do arroz. Se necessário, acrescente mais água.

Na hora de servir regue com azeite de oliva.


Aprovado, mãe?