sexta-feira, 27 de julho de 2012

Poilâne - a padaria grife de Paris!

Se tem um lugar que todo parisiense conhece é a padaria Poilâne. Pequena, com apenas 3 lojas na cidade (uma em Saint-German, uma no Marais e uma em Montparnasse) e com um pão que é a cara da França.


Se você pensou em baguete... Errado! Segundo eles, a baguete só surgiu no século 19. Antes disso, e até hoje, o pão nacional é o que eles chamam de "miche".  Um pão redondo, feito à mão, com fermento natural, sal de Guerande e assado em forno à lenha.


E para quem quiser reproduzir em casa, a loja vende a farinha e o sal...


E os livros de receita!


Bom, na ausência de um bom forno aqui no apartamento, resolvi trazer um pedaço para casa e degustar como eles indicam: com um tradicional mel! Vendido também por eles, lógico...



Poilâne
8 rue du Cherche-Midi
75006 Paris

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Um final de semana na Normandia

Uma região francesa que eu queria muito conhecer e finalmente consegui é a Normandia, famosa pelo queijo Camembert e a bebida Calvados. O trem sai da Gare St. Lazare e em 1:50h chega em Trouville-Deauville. 

Essas duas cidadezinhas praianas são ligadas através de uma pequena ponte. Ambas são cheias de pequenos bistrôs, lojas de temperos, queijos e embutidos, coisas para a cozinha, etc. Dá para fazer tudo a pé e o clima é uma delícia! Por isso, apesar da pouca distância, sugiro dormir uma noite na região para aproveitar tudo!


O hotel (Best Western) em Trouville fica há 5 minutos a pé da estação e é tão charmoso quanto ela.


Essa é a vista do quarto...


Esse é o centrinho de Trouville...


Após fazer umas comprinhas de queijos e vinhos, o proprietário da loja fez questão de indicar o restaurante para o nosso jantar! Nem pensamos duas vezes, seguimos à risca...  



Como estamos na costa, frutos do mar são a pedida...


Creme brûlée de sobremesa, bien sûr...


E degustação de queijos da região para terminar...


No domingo é dia de feira em Deauville!



O melhor lugar para comprar queijos não-pasteurizados!



Depois disso, foi voltar para casa de barriga e sacola cheias...!!!


segunda-feira, 23 de julho de 2012

Alain Ducasse por menos

Uma ótima opção para comer bem, e não gastar todos os euros guardados, é almoçar durante a semana nos restaurantes dos chefs badalados. Nessa semana fui no Rech, do chef Alain Ducasse


Esse restaurante está no mesmo lugar desde 1925 e é famoso por duas coisas: peixes frescos e éclair (algo como a nossa famosa bomba) sensacional

Neste mês eles estão com um especial inglês que eu adoro, o Fish & Chips, re-interpretado pela cozinha francesa, lógico.


Ele vem servido sobre purê de ervilhas, acompanhado de batatas fritas e molho tártaro. Perfeito!

Para a sobremesa, fui numa das minhas favoritas: pain perdu (bem parecida com nossa rabanada), servida com sorvete de baunilha.



Mas... teve gente na mesa que pediu a famosa éclair... Já adianto, não conseguiram terminar!




E junto com o cafezinho vem um "mimo" da casa: marshmallows caseiros entregues assim, na mão mesmo, pelo garçom. Um charme.




Preço: 40 euros por pessoa, com vinho!


RECH
62, avenue des Ternes 
75017 Paris








sexta-feira, 20 de julho de 2012

A omelete francesa: passo-a-passo com fotos!

Esqueça tudo o que você sabe sobre omeletes. Técnicas, dicas e segredos. Aqui eles fazem de um jeito diferente, estranho até. Confesso que não levei a sério quando aprendi, mas depois de testar algumas vezes posso dizer que funciona muito bem!

Para que todos também aprendam a famosa técnica dos hotéis franceses, fiz aqui em casa com calma e tirei fotos de cada passo... Prontos?


Omelete Francesa

Ingredientes
3 ovos
1 colher de sopa de queijo ralado ou em pedaços, usei gruyère
1 colher de sopa de manteiga
sal e pimenta a gosto


Como fazer

Quebre os ovos em um bowl e adicione sal e pimenta moída na hora.


Bata a mistura com um garfo até estar tudo bem incorporado. Junte o queijo.




Derreta a manteiga na frigideira e adicione a mistura de ovos. Em fogo médio, vá mexendo com um grande garfo. (Eu sei o que vocês estão pensando: "mas isso são ovos mexidos"! Não, não são. No final ficará tudo claro...)




Quando começar a firmar, empurre toda a mistura para a lateral da frigideira, inclinando-a levemente.



Quando estiver tudo ligeiramente firme, despeje a mistura em um prato limpo.



Aqui entra o "jeitinho francês"... Com duas folhas de papel toalha por cima dos ovos, molde o formato de omelete, apertando levemente as pontas.



Esse é o resultado...




Lembrando que os franceses gostam dos ovos bem moles, então esse processo todo leva em torno de 30 segundos. Portanto, tenha tudo o que precisa à mão antes de começar!


quarta-feira, 18 de julho de 2012

O tal do Le Marais - parte I

Para uns ele é histórico. Para outros ele é turístico. E para mais alguns ele é gay. Esse é o Le Marais. Um pouco de tudo num bairro só!

Ele compreende o 3o e 4o Arrondissement, na margem direita do Rio Sena (a Rive Droite, lembram do primeiro post daqui?).

Bom, tudo começa na estação Saint-Paul. Bem no centro do bairro.




Saindo da estação, minha dica é ir direto para o café Les Philosophes, um clássico do Le Marais. Afinal, um brunch bem parisiense deixa qualquer um no clima da cidade. 




Confesso que não gosto muito de comer sozinha. Tenho uma tendência a ficar no celular para matar o tempo. Mas desde que estou aqui, geralmente minhas opções são comer sozinha ou não comer. Então, em nome do blog e da minha vontade de conhecer restaurantes novos, ando com um livro na bolsa, pronta para encarar os novo lugares!

Mas voltando ao Les Philosophes, eles têm uma boa lista de ovos mexidos. Provei o de queijo e é simplesmente uma delícia! Com um chocolate quente acompanhando então... (não estranhem, estava 14o C nesse dia)



Já de barriga cheia, fica mais fácil se perder pelas pequenas ruas do bairro. Cada uma com uma surpresa diferente... Seja ela uma loja de ingredientes exóticos...


                                                                                                  Endereço: 30 Rue François Miron, 75004 Paris

A clássica francesa Pylones. Para quem não conhece, sugiro dar uma voltinha virtual no site deles, é uma coisa mais legal do que a outra. E entregam no Brasil!


                                                                                   Endereço: 13 Rue Ste Croix la Bretonnerie, 75004 Paris

Para quem que, como eu, gosta de fotografia... Lomography!



                                                                                       Endereço: 17 Rue Ste Croix la Bretonnerie, 75004 Paris


E para as coisas de casa no melhor estilo francês, tem a Fleux. Aqui também vale uma visita no site deles. Apesar de só ter 2 lojas, ambas no Marais e na mesma rua, ela é referência de decoração para os parisienses.


                                                                                                             Endereço: 39 Rue Ste Croix la Bretonnerie, 75004 Paris

E isso é só uma espiadinha... Tem muito mais coisas, para todo gosto! Dá para ficar uma semana só nesse bairro, sem dúvida nenhuma!


Para a parte 2, preparei um post com o lado cultural do bairro. Porque não dá para viver só de comida e compras, né? Aguardem...

segunda-feira, 16 de julho de 2012

O café da Amélie Poulin

Quem já viu o delicioso filme francês "O fabuloso destino de Amélie Poulin"? Esse filme de 2001 é um clássico para quem gosta de cinema, mas também para quem gosta de comida e de Paris. O filme conta a história da garçonete Amélie Poulin, que mora em Montmartre e trabalha no Café des Deux Moulins


Pois o tal café existe de verdade e fica lá em Montmartre mesmo!



O tema, lógico, é todo inspirado na Amélie Poulin! Desde o cardápio até a decoração das paredes.




Agora a comida...

Pedi um croque-madame (tem receita dele aqui no blog), para um almoço mais leve. Sinceramente, ele veio esturricado! Acho que esqueceram gratinando no forno... Uma pena.


Já a sobremesa... Crème Brûlée d'Amélie! Sensacional! Para quem assistiu o filme, a crosta por cima é bem durinha, para bater com a colher e se deliciar...



Minha sugestão?  Almoçar em qualquer outro lugar e ir curtir a sobremesa e o cafezinho de lá...

Café des Deux Moulins
15 Rue Lepic 75018 Paris

sexta-feira, 13 de julho de 2012

O melhor sorvete de Paris - na minha opinião

É só chegar o verão que as lojas de sorvete pela cidade enchem! São filas e mais filas na porta. E isso independente de sol e calor, viu? Porque se fossem esperar por eles nesse verão, ninguém venderia sorvete em Paris! 

Bom, mas vamos ao melhor sorvete. Segundo a maioria dos guias da cidade, pesquisas e blogueiros, é a Glacier Berthillon, no mesmo lugar desde 1954. 



A única loja fica na ilha Saint Louis e a fila é sempre enorme. Afinal, nada melhor do que dar uma volta pela charmosa ilha com um sorvetinho na mão.



Minhas escolhas foram banana e morango. E o veredicto é... bom! Nada demais, sabor das frutas sim, mas muito gelo, lembrando de longe uma raspadinha. Ou seja, nada demais. 

Com uma estratégia oposta, a Amorino Gelato Italiano está por todo lado. A rede possui 49 lojas só na França. Além de Espanha, Portugal, Reino-Unido, Alemanha, Áustria e Itália. Ah tem uma única loja perdida em Nova York também, se alguém estiver de viagem marcada para lá! 




Sempre que vou lá peço a mesma coisa: Stracciatella (equivalente ao nosso flocos) e Fragola (morango).  E não importa a loja em que eu estiver, o sabor é sempre o mesmo! Cremoso, com muito gosto de fruta ou com grandes lascas de chocolate, e saboroso. Além de ser enorme!!!!




Decisão final: Amorino! Sem dúvida nenhuma!

Convenientemente, existe uma filial da Amorino quase do lado da Berthillon, na ilha Saint Louis. Perfeito para comparar os dois!!!

Glacier Berthillon
29-31 rue saint Louis en l'ile
75004 Paris


Amorino Gelato Italiano
47 rue saint Louis en l'ile
75004 Paris



sábado, 7 de julho de 2012

Les Deux Magots - o famoso café em Saint German des Prés

Um bairro que está virando meu favorito é Saint-German-des-Prés, no 6o Arrondissement. Ele tem um pouco de tudo.  Lojas, pequenos mercados e cafés por todos os lados. Além de ser infinitamente menos cheio do que o Marais, atual bairro da moda por aqui. 

E é lá que fica mais um nome da minha lista, o Les Deux Magots. Esse café, no mesmo lugar desde 1873, costumava receber os gênios da capital, de Ernest Hemingway à Pablo Picasso, totalmente à la "Meia-Noite em Paris"



Hoje em dia ele é mais turístico, é verdade. Mas nem por isso perdeu seu charme. O melhor lugar é ficar nas micro mesas da calçada, mas vale dar um volta lá dentro do mesmo jeito!




O menu é recheado com os clássicos franceses, ou seja, tem de tudo um pouco. Mas quando li fígado de vitelo, nem segui adiante! Tenho uma queda por fígado, seja de frango, pato, ganso ou boi. Nunca tinha comido de vitelo e é simplesmente delicioso! Recomendo fortemente!



Para a sobremesa, crème brûlée! Ao melhor estilo "Amélie Poulin", com a crosta bem durinha para se divertir quebrando!  

Por atrair muitos turistas, ele é um pouco mais caro do que outros cafés de bairro, mas ainda assim vale a pena! 


LES DEUX MAGOTS
6 place Saint-Germain-des-Prés - 75006 Paris


quarta-feira, 4 de julho de 2012

Domingo de sol na terra do Champagne

Para aproveitar os raros dias de sol que têm feito, resolvi fazer um bate-e-volta de trem até a região de Champagne, famosíssima pelos deliciosos vinhos espumantes. A viagem é rápida e muito simples de fazer, partindo de Paris. 

                               
                                                                                                      Imagem: Google França

PARIS-REIMS

O trem de alta velocidade TGV sai da Gare de l'Est em Paris e chega na estação central de Reims em 45 minutos! A cidade, além dos vinhos espumantes, é famosa pela sua catedral, onde todos os reis da França foram coroados. Mas, como o foco aqui é a bebida, vamos à ela.


Chegando lá, a melhor opção para um dia é escolher uma ou duas vinícolas para conhecer bem. Você pode conhecer a Taittinger, Bollinger, Mumm, Piper-Heidseick, Pommery e Veuve Clicquot. Eu escolhi a primeira da lista, que é uma das minhas favoritas. 


Todas as visitas seguem o mesmo roteiro: aproximadamente 45 minutos andando pelas caves, que podem estar a até 30 metros abaixo do solo, e conhecendo o processo; e os últimos 15 minutos degustando os espumantes da casa. 

Mas na Taittinger, por ser uma das únicas caves administrada pela família original, tudo isso fica um pouco mais pessoal. Os funcionários contam entusiasmados e orgulhosos a histórias da casa. 


Aliás, fiquei surpresa com a fabricação do champagne. Simplificando, é mais ou menos assim:

COLHEITA
A tradição na região não mudou até hoje. Todas as uvas são colhidas manualmente e prensadas sem a casca, para extrair somente o suco.

PRIMEIRA FERMENTAÇÃO
O suco é armazenado em tonéis para a primeira fermentação natural. Aqui já se formam as bolhas de CO2, mas são liberadas totalmente quando o tonel é aberto. O resultado então é o vinho tradicional.

CRIAÇÃO
Vários vinhos são combinados para formar o espumante tradicional da casa. Todos os anos ele tem exatamente o mesmo sabor, cor e aromas. Imaginem a complexidade desse processo!!

SEGUNDA FERMENTAÇÃO
Os vinhos são engarrafados e recebem uma pequena quantidade de fermento, açúcar e outros ingredientes secretos da casa. Aqui formam-se as bolhas novamente e os detrimentos do fermento vão se concentrando no pescoço das garrafas, já que elas ficam inclinadas. Mas para garantir que isso aconteça, as garrafas são giradas manualmente alguns centímetros todos os dias

DEGORGEMENT
As garrafas, com os sedimentos concentrados no pescoço, são colocadas em um recipiente muito frio, congelando o conteúdo do pescoço. Em seguida elas são abertas e, com a pressão, o pequeno bloco de gelo que se formou é expelido. A garrafa é completada com um pouco de "licor de expedição", que vai determinar se o vinho é brut ou demi-séc, e fechada definitivamente.



Depois desta fase, os melhores champagnes são guardados por no mínimo 3 e até 8 anos, em caves como esta à cima, antes de chegar ao mercado.


Aí, depois de toda essa aula, é só relaxar com uma taça de Champagne...


REIMS - EPERNAY

Mas Reims não é a única cidade a ser visitada. A pequena Epernay é a sede da famosa e consagrada Moet & Chandon. Fui de trem de uma cidade para a outra, leva em torno de 30 minutos e faz duas rápidas paradas no caminho.


A diferença entre a Moet & Chandon e a Taittinger é enorme. Aqui é como se o negócio ficasse profissional.


Inclusive, é altamente recomendado fazer uma reserva de horário para visita através do site deles. 


Ingresso verde para indicar a visita em inglês (meu francês ainda não tá aquilo tudo), ingresso branco para o tipo de degustação adquirido (preço de acordo com o tipo do champagne) e entradas grandes para as caves. Só para comparar, na Taittinger não tem nada disso... É chegou, pagou e entrou. 



Já dentro da cave, o barril que Napoleão trouxe de Portugal e doou à Maison Moet & Chandon. Originalmente ele estava cheio de vinho do Porto. O detalhe é que ele "adquiriu" esse barril justamente quando invadiu Portugal e afugentou D. Joao VI para o Brasil... 


Até a degustação aqui é com mais glamour!  


EPERNAY - PARIS

A volta por Epernay é um pouquinho mais longa, leva 1:20h, pois tem algumas paradas no caminho e o trem não é de alta velocidade. Perfeito para dar aquela cochilada depois de tanto champagne...