sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Os mantras da Le Cordon Bleu

A Le Cordon Bleu Paris é mais do que uma escola, é praticamente uma religião. Verdade. Não basta cozinhar. Tem que cozinhar da maneira ensinada pela escola, buscando constantemente a perfeição. Parece meio militar, não é? Mas o pior é que funciona!

Depois de 6 meses e mais de 540 horas na escola, posso dizer que saí com três "mantras culinários":

1 - A comida deve ser sempre bem temperada
2 - A cocção deve estar no ponto certo para cada alimento
3 - O prato deve ser apresentado da forma mais atraente possível

Vamos por partes... 

Mantra número um: temperos

Para conseguir um prato delicioso não é preciso muita coisa. Basta ter à sua mão: louro, tomilho, pimenta em grãos, alho e échalote. Além do sal, claro, que já falei aqui

Louro e tomilho são usados para tudo! Arroz, molhos, carnes, peixes, aves, legumes, etc... É o "kit" básico de ervas, que já são comprados secos e juntos no pacote (foto ao lado). Mas como por aqui ainda não estão vendendo dessa forma, o jeito é deixar o pacote de tomilho fresco na geladeira e o louro do lado do fogão. 

Minha sugestão? Deixe de lado por um tempo a cebolinha e a salsinha e experimente esses dois! Eles mudam qualquer prato deixando um sabor mais sofisticado...


A pimenta em grãos é perfeita para ressaltar o sabor dos alimentos. Mas isso só funciona se ela for moída na hora, porque do contrário perde grande parte dos seus aromas e frescor.

O ideal é ter tanto a branca quanto a preta. A pimenta branca fica ótima com legumes, peixes e aves. A pimenta preta é ideal para molhos e carnes.

Minha sugestão? Jogue fora o potinho com elas já moídas e invista em um moedor. Eu tenho um moedor claro com pimenta branca e outro escuro com pimenta preta, como na foto ao lado.


E, por fim, a outra dupla dinâmica da cozinha francesa, o alho e a échalote. Onipresentes na cozinha essa duplinha deixa tudo mais saboroso.

Eu prefiro usar o dente de alho com casca, levemente amassado com a lateral da faca. Assim ele pode ser colocado na panela junto com a échalote e não vai queimar, somente soltar os aromas.

A échalote, mini cebola francesa, suave e delicada, é substituta quase constante da cebola tradicional. Picadinha e dourada junto o alho é o começo de qualquer bom molho! 

Minha sugestão? Jogue fora o tempero pronto que você tem na geladeira e aposte nesta dupla. 


Eu firmemente acredito que são pequenas mudanças nos ingredientes, como essas sugeridas acima, que fazem os pratos caseiros se aproximarem dos profissionais. Afinal, se é possível comer melhor em casa, por quê não?


p.s. - mantras dois e três nos próximos dias...


Fonte imagens: Google França

16 comentários:

  1. Bruna, adorei os mantras!!! Vou aguardar os outros... Bjooo

    ResponderExcluir
  2. Verdade.. Basta colocar tomilho nos meus pratos que me vem na hora as lembrancas das cozinhas do le cordon bleu.... Ahh que saudade!!
    Beta scheer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beta!!!! A Le Cordon Bleu realmente fica na gente, né?? bjoss

      Excluir
  3. Bruna querid adorei suas dicas também uso muitas delas ...inclusive do tomilho...a pimenta e do alho..amei saber mais com voce bjão grande

    ResponderExcluir
  4. Pôxa, muito legal estas suas dicas,especialmente de trocar a salsinha e cebolinha (tão comuns em nosso dia a dia, não é mesmo?) pelo tomilho e o louro. Vou fazer isso, tenho certeza que vai ficar uma delícia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabíola, pode trocar sim, que fica muito bom! Só lembre que o louro e o tomilho, se forem secos, precisam ser retirados dos pratos antes de servir! bjos!!

      Excluir
  5. Adorei as dicas.
    Irei começar a cursar gastronomia, levarei essas dicas comigo ♥

    Beijos.
    www.amandocozinhar.com

    ResponderExcluir
  6. Gostei do post e muito mais de saber que já tenho como prática usar estes temperos, e tenho-os plantados aqui em casa. A moagem da pimenta aprendi a gostar e perceber a diferença na prática do dia a dia.
    Muito bacana virei sempre aqui beber desta fonte, já que não é todos que tem a possibilidade de estudar em um lugar assim. Grata por compartilhar, você é muito generosa!

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal que já usas esses temperos Maria de Lourdes! Se tiver mais alguma dica para acrescentar, é só falar!!! beijos

      Excluir
  7. Adorei o Post, Bruna! É sempre bom estar aberta a dicas especiais como estas tuas...e não estar escondida atrás do que julgamos ser "verdades absolutas"! Isso faz muita diferença na vida! Aprendi a usar tomilho recentemente ( com a Rita Lobo) e o louro eu usava apenas para fazer o feijão...agora uso bastante também!!! Esta cebolinha que tu falas é aquela que usamos para fazer conserva? E o que eles falam da cebola roxa? Beijos...e espero ansiosa o próximo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana Paula, fico feliz que tenha gostado, obrigada :) Essa cebola é diferente, outra espécie, bem suave. Tem muito nos países mais frios, Chile e Argentina, por exemplo. Quando encontro no supermercado aqui é sempre importada. A cebola roxa é a melhor substituta na falta da échalote! É oq estou usando desde que voltei! beijos

      Excluir
  8. Oi Bruna, adoro cebola e quando comi na França a échalote fiquei maravilhado...
    Você sabe aqui no Brasil se encontramos ela? Sabe de algum lugar para comprar as sementes?
    Obrigado
    Abraços e parabéns pelo Blog...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cristiano, tudo bem? Eu também gosto muito da échalote, mas como não temos produção no Brasil, ela tem que ser importada do Chile! O único lugar que eu acho quase sempre é na Casa Santa Luzia, em SP. Quanto às sementes, realmente não sei. Mas achei uma ótima ideia! Se você achar, me avisa? rs abs!!!

      Excluir

Deixe seu comentário, sugestão ou crítica!

Bruna